Devocional

Faço parte da Igreja de Cristo em São Caetano e estamos desenvolvendo um material de devocional para pais e filhos, os resultados estão sendo excelentes. E agora toda semana vou postar aqui este material. Começaremos com a historia do profeta Samuel. Espero que gostem e seja benção em sua família.

“Estes, pois, são os mandamentos, os estatutos e os preceitos que o Senhor teu Deus mandou ensinar-te, a fim de que os cumprisses na terra a que estás passando: para a possuíres; para que temas ao Senhor teu Deus, e guardes todos os seus estatutos e mandamentos, que eu te ordeno, tu, e teu filho, e o filho de teu filho, todos os dias da tua vida, e para que se prolonguem os teus dias. Ouve, pois, ó Israel, e atenta em que os guardes, para que te vá bem, e muito te multipliques na terra que mana leite e mel, como te prometeu o Senhor Deus de teus pais. Ouve, ó Israel; o Senhor nosso Deus é o único Senhor. Amarás, pois, ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todas as tuas forças. E estas palavras, que hoje te ordeno, estarão no teu coração; e as ensinarás a teus filhos, e delas falarás sentado em tua casa e andando pelo caminho, ao deitar-te e ao levantar-te. Também as atarás por sinal na tua mão e te serão por frontais entre os teus olhos; e as escreverás nos umbrais de tua casa, e nas tuas portas.” Deuteronômio 6:1-9

Seguidores

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Devocional - Semana 1 - Livro de Samuel


Carta aos pais
Esta semana vamos começar a estudar algumas partes do Livro de Samuel, e o mais importante vamos desfrutar de momentos de aprendizado e comunhão em família. Nosso tema principal será a oração, comunhão com Deus e obediência.
    Estes dias comecei a ler um livro que comprei a uns três anos e não havia nem tirado da embalagem. E ao ler me deparei com um texto muito bom e interessante que me fez refletir sobre muitas coisas. Na época que comprei achei que se tratava de um livro que falava sobre ministério infantil, mas na verdade trata do relacionamento de pais e filhos, a difícil tarefa de ser pai e compreender o serzinho tão pequeno e poderoso que são os nossos filhos. Muito bom e edificante, pois compara o nosso relacionamento com o nosso Pai, Deus. E o que Ele espera de nós.
    A cada semana vou mandar um pequeno trecho deste livro, para refletirmos.


Bem vindos aos três primeiros anos
É comum comparar a vida espiritual a uma caminhada. Andamos “pelo caminho da justiça” (provérbios 8:20) e também “pelos caminhos da vida” (Salmo 16:11). Talvez não seja de se admirar que, à medida que as crianças aprendem a caminhar talvez os pais sintam necessidade de voltar aos fundamentos e descobrir novamente a arte de colocar um pé na frente do outro. Isso porque os pais de crianças pequenas não vivem mais com os dois pés plantados firmemente no mundo racional. Antes, são atraídos aos poucos para a terra pré-racional da infância, onde a vida só faz sentido do ponto de vista de uma criança. Quer gostem ou não, os pais verão o mundo de modo muito semelhante aos seus filhos – estranho, enorme e confuso com suas luzes brilhantes demais e sua escuridão opressiva, sem carinho suficiente para neutralizar todas as colisões, e com tudo o que é bom fora do seu alcance.
Fico me perguntando se foi assim que Jesus – acostumado a perfeição do céu – se sentiu ao passar pelas mesmas experiências que as crianças humanas vivenciam neste mundo escuro e desordenado. Será que todos os pais, pela própria natureza de sua incumbência, são chamados a habitar em meio ao caos?
Viver com crianças pequenas significa voltar às realidades cruéis, e também às alegrias espontâneas e extraordinárias da meninice. Há quem lance um longo e saudoso olhar para trás, contemplando um mundo adulto e racional. Que tristeza! Aquele mundo tornou-se estranhamente inatingível. É como se aos próprios pais tivessem sido empurrados de volta a toda confusão da infância, reduzidos a breves períodos de atenção, interrompidos com freqüência por esbarrões e contusões. Quando seu filho pequeno esfola o joelho e berra a plenos pulmões, você também se sente esfolado e berrando por dentro.
Uma mulher cristã me disse certa vez que ter um filho leva um casal a encarar a realidade. “Antes de se tornarem pais”, comentou, “as pessoas vivem num mundo de sonhos”.
Ela esta certa. Só as crianças podem nos transformar em gente grande.
Nós, adultos, achamos que crianças pequenas requerem um bocado de energia e atenção, mas só sentimos isso porque nos apegamos demais à nossa independência. Com todo o seu carisma, as crianças nos atraem de volta ao equilíbrio da interdependência. Ao mesmo tempo em que nossos filhos derramam toda sua vida para nós sem qualquer hesitação, nos queixamos de ter que retribuir. Mas as crianças têm razão: as pessoas se desenvolvem ao serem generosas na atenção que dedicam a outros.
Uma coisa é certa: se não dermos de bom grado aos nossos filhos o tipo certo de atenção, seremos forçados a dar-lhes o tipo errado. O tempo que deixarmos de usar cuidando deles e brincando com eles será gasto silenciando as reclamações e apagando os incêndios. Mais tarde, quando nossos filhos forem maiores, cada hora que não investirmos demonstrando nosso amor por eles será gasta na sala de conselheiros, diretores e assistentes sociais.
Em outras palavras, as crianças revelam quais são nossos ídolos. Toda vez que pensamos que uma criança está-nos “interrompendo” ou “interferindo” em nossa vida, é porque colocamos um ídolo no lugar onde o amor deveria reinar soberano. A ironia é que nosso ídolo pode ser alguma tarefa que pensamos estar realizando por amor aos nossos filhos. Acabamos descobrindo que trocamos o Deus dos relacionamentos vivos por um deus isolador, criado por nossas próprias mãos.
Essa é a essência da repreensão de Jesus aos seus discípulos: “Deixem as criancinhas vir para junto de mim! Nunca  mandem embora os pequeninos” (Lucas 18:16) . Deixar os pequeninos irem até você, uma pessoa disponível com braços abertos e cheios de amor, é o mesmo que deixá-los ir a Jesus. Muitas vezes, o que nos impede de receber as crianças de bom grado é nossa idéia fantasiosa do que seja ou deve ser a vida. As crianças desafiam essa idéia o tempo todo. Com os pequeninos por perto não podemos mais esperar “planejar” nosso dia como costumamos fazer. O único plano que podemos fazer é estar disponíveis. As coisas não vão mais correr tranquilamente, pois esta tranqüilidade é um ídolo.
O ministério das crianças – o que elas ensinam sobre o Reino de Deus
 Mike Mason – Editora Mundo Cristão

Objetivos da semana:
É importante os pais darem atenção aos objetivos da semana, através deles temos um alvo a alcançar com os devocionais:
Ao fim da semana a criança tem que:
ü  Saber: que Ana levou sua angustia, tristeza a Deus em oração, e Deus a atendeu;
ü  Sentir: confiar que Deus ouve suas orações.
ü  Agir: orar com seus pais pelas dificuldades da família.


Devocional

Segunda Leia com seu filho I Samuel 1:1 a 8
Texto auxiliar : Base em I Samuel 1:1 a 8
A Bíblia nos conta que muito, muito tempo atrás vivia um homem chamado Elcana. Ele era bom amava a Deus. Elcana era casado com Ana, que não tinha filhos e queria muito ter um.
Ana via outras mulheres que tinham filhos e ficava cada vez mais triste. Penina tinha filhos e gostava de irritar Ana. Elcana tentava agradar Ana, mas não adiantava nada. O que ela queria mesmo era um filhinho.
Era costume de Elcana, uma vez por ano, fazer uma viagem com sua família. Não era uma viagem de férias, como fazemos hoje. Ele levava toda sua família para a cidade onde ficava a casa de Deus. Era uma grande festa para todos, menos para Ana!

ü  Texto de complemento para os pais – aumente seus conhecimentos:

 Elcana: Ana e Penina eram mulheres de Elcana, um efrainita que vivia em Ramatain-Zofim. Conforme o código de Hamurabi, se a primeira mulher fosse estéril o homem poderia casar-se com a segunda. Este mesmo dispositivo conjugal passou para a Lei Judaica (Dt. 21:15-17).
ü  Explique a respeito do que leram; Que Elcana amava a Ana e era feliz com ela, mesmo ela não lhe dando filhos, mas que isso entristecia o coração de Ana.
ü  Orar com seu filho hoje pela sua família converse primeiro se tem algo que entristece se na escola vai tudo bem e depois agradeçam a Deus, expondo tudo a Deus.  
 Terça Leia com seu filho I Samuel 1: 9 a 10
Texto do dia: Base em I Samuel 1: 9 a 10
Ao chegar à casa de Deus, Ana decidiu orar e conversar com o Senhor, explicando tudo que estava sentindo. Ela chorou muito. O sacerdote Eli estava sentado em uma cadeira.
ü  Use ainda o visual (1) semana 1
ü   Explique a respeito do que leram; Que enquanto a família estava alegre na festa, Ana escolheu ir orar, conversar com Deus, expor suas tristezas, crendo que Deus é a única solução. Muitas vezes murmuramos, brigamos com as pessoas ao nosso redor, quando estamos tristes ou quando o que acontece não esta de acordo com o que nos agrada. Ana escolheu ir até o Senhor. E neste versículo vemos falar de Eli o sacerdote, que a observa. Converse com seu filho explique que o sacerdote era como o pastor que temos hoje, um pouquinho diferente pelas ofertas de sacrifício, mas era ele que orientava o povo na sua vida espiritual.
ü Orar com seu filho hoje ore pelo seu pastor, e agradeça a Deus o fato de poder abrir seu coração a Deus e Ele ouvir e nos alegrar.


Quarta Leia com seu filho I Samuel 1: 11
Texto auxiliar : Base em I Samuel 1: 11
Ana começou a orar e chorar ao mesmo tempo. Ela orava assim: “Ó Senhor Todo Poderoso, olha pra mim, tua serva! Vê a minha aflição e lembra-se de mim! Não se esqueça da tua serva!” E foi isso que Ana fez contou tudo ao Senhor. Você sabe o que ela falou pra Deus? Ana pediu um filho a Deus e fez uma promessa. Sabem o que ela prometeu? Ela disse que quando seu filho crescesse um pouquinho, traria o menino de volta para a igreja, para ele morar lá e aprender a ajudar na casa de Deus. Que promessa hein!
ü  Use ainda o visual (1) semana 1
ü  Explique a respeito do que leram; Naquele tempo os levitas que cuidavam do templo, moravam lá, o templo era como a igreja hoje. Ana queria tanto um filho que devolveu seu filho a Deus, entregando ele no templo para servir a Deus. Hoje isso não é necessário podemos ajudar na casa de Deus a igreja sem morar lá. Mas pertencemos a Deus e devemos obedecê-lo.
ü  Orar com seu filho hoje para Deus abençoar a igreja, as pessoas, os ministérios, Infantil, mulheres, louvor, homens, jovens e outros. Mostre a importância de todos eles na igreja.

  Quinta Leia com seu filho I Samuel 1: 12 a 17
Texto auxiliar : Base em I Samuel 1: 12 a 17
O sacerdote Eli observou Ana e estranhou uma mulher sozinha orando tanto tempo. Então ele olhou bem e viu que os lábios dela se mexiam, mas não saia nenhum som. O profeta Eli olhou para Ana e pensou: Esta mulher está bêbeda! Ele foi até ela e disse “Até quando você vai ficar embriagada? Veja se para de beber!”
Ana deve ter levado um susto e ficado ainda mais triste, mas ela respondeu: “Senhor, eu não estou bêbada... estou desesperada e estava orando, contando a minha aflição ao Senhor... eu estava orando daquele jeito porque sou muito infeliz.”
Então o sacerdote Eli disse a ela: “Vá em paz. Que o Deus de Israel lhe dê o que você pediu!”
ü  Use ainda o visual (2) semana 2
ü  Explique a respeito do que leram; aqui mais uma vez nos mostra como Ana entregava seu coração a Deus em oração e fez a coisa certa: contou a Deus porque ela estava triste. Nós também podemos orar a Deus e contar a Ele o que nos acontece. Deus ouve nossas orações.
 O sacerdote Eli até confundiu ela com alguém que estivesse embriagada tamanha era entrega de Ana em conversar com Deus.
ü  Orar com seu filho hoje ore agradecendo a Deus o privilégio de poder falar com Deus em qualquer momento e lugar, louve ao Senhor.

Sexta Leia com seu filho I Samuel 1: 18 a 20
Texto auxiliar: Base em I Samuel 1: 18 a 20
Quando Ana saiu da casa de Deus, já estava mais alegre! Ela tinha certeza de que Deus havia ouvido a sua oração. A Bíblia diz que Deus ouve as orações. Ana sabia disso, confiou em Deus e não ficou mais triste. Ana voltou para casa com Elcana. Depois de algum tempo, sabem o que aconteceu? Sim, Ana ficou grávida! Que alegria! Deus tinha respondido a oração dela. O bebe nasceu, e Ana escolheu o nome bem bonito: Samuel!
ü  Use ainda o visual (3) semana 2
ü  Explique a respeito do que leram; Que assim deve acontecer com a gente, devemos orar e confiar que Deus ouve e responde às nossas orações. Deus responde as orações com: sim, não ou espere.
Orar com seu filho pelos amiguinhos e parentes que não conhecem a Deus e não sabem que Deus nos ouve e nos ama. Para que cada um tenha um encontro com Deus.

Sábado Leia com seu filho Salmo 50:15

ü  Use ainda o visual do versículo
ü  Explique a respeito do que leram; Ana sofreu muito enquanto não teve filhos, mas buscou ajuda com a pessoa certa. Ela obedeceu à palavra de Deus. O que diz no versículo que estamos lendo hoje? Deus também vê quando você está triste, quando seus amiguinhos na escola não querem brincar com você. Fale com Deus e ele ouvirá suas orações também.
Orar com seu filho agradecendo a Deus por Ele estar no controle de tudo e cuidar de nós. Que Ele nos ensine cada dia mais a dependermos dele.

Domingo Hoje é domingo um dia maravilhoso, dia de ir à casa de Deus e dia do papai participar do devocional, caso ele não teve tempo de participar durante a semana. Então vamos relembrar tudo, contar a história toda, cantar e ler o versículo. Conferir se estão pintados os desenhos e preparar todo o material para levar para a igreja. Lembrem-se o devocional e os visuais são seus, levem somente as atividades.

Complemento para Bebês até 3 anos
SEGUNDA – Está é Ana, ela está muito triste, pois não tem um bebê. Seu marido Elcana não quer que ela fique triste.

TERÇA – Elcana levou toda família a casa de Deus. Todos estavam alegres, mas Ana estava triste.

QUARTA – Ana foi falar com Deus e chorando pediu um bebê.

QUINTA – Eli viu Ana chorando baixinho e foi falar com ela (imite Ana chorando)
Eli falou que Deus ia ajudar Ana.

SEXTA - Ana saiu muito feliz, sabia que Deus a escutou. Depois de um tempo ela teve um bebê.
Seu nome Samuel.

SÁBADO – Quando estamos tristes e falamos com Deus Ele nos ouve. E nos ajuda.

Segue um novo post com os visuais e atividades.


Nenhum comentário: